O desafio de se combater o alto índice de depressão e ansiedade no Brasil

Wesley Coelho Siebra (Pré-universitário)

Depressão e ansiedade são conhecidas como as doenças do século, por isso é imprescindível falar sobre um assunto tão sério, que vem tomando uma proporção enorme de casos dentro da sociedade. Essas doenças são causadas por diversos fatores, e podem acarretar várias sequelas. 

Situações de estresse, solidão, consumo de álcool e drogas, doenças crônicas, dar à luz, traumas e genética, são alguns fatores que podem levar à depressão e à ansiedade. É comum o paciente alternar entre quadros de ansiedade e quadros de depressão, pois, uma condição pode gerar a outra, assim, a probabilidade de ter as duas doenças ao mesmo tempo é bastante elevada.

A atriz Angelina Jolie, sempre foi sincera em relação a sua luta contra a depressão e ansiedade, em um dos momentos mais obscuros da sua vida, a atriz chegou a contratar um assassino profissional para matá-la, mas a pessoa contratada ofereceu um mês para ela pensar melhor. Nesse período, Angelina Jolie melhorou e desistiu da ideia. Pensamentos suicidas ou até mesmo o suicídio são os dois fatores mais preocupantes em relação a essas doenças.

A taxa de suicídios a cada 100 mil habitantes aumentou 7% no Brasil, ao contrário do índice mundial, que caiu 9,8% segundo a OMS. Os dados provam que a sociedade precisa reforçar a campanha do Setembro Amarelo, mês dedicado à prevenção do suicídio, que visa conscientizar as pessoas sobre o assunto, e também como evitar o seu acontecimento.

Atentar aos sinais da depressão e ansiedade é fundamental para ajudar alguém que está passando por essa situação. Humor triste, sentimento de culpa, diminuição da energia, inquietação, perda de interesse e prazer pela vida, são alguns dos sinais a que se deve prestar atenção. O apoio familiar é fundamental e de extrema importância em casos como esse, nunca se deve tratar doenças tão sérias como frescura!

O acompanhamento ao psicólogo e psiquiatra é necessário, uma vez que esses profissionais são pioneiros na luta contra essas doenças. A ajuda do governo para a visibilidade através de propagandas, mídias sociais, e campanhas se faz necessário, e a autoajuda é essencial para auxiliar a livrar-se das doenças.

A depressão e a ansiedade não são frescura ou coisa de gente fraca, e sim de quem já foi forte até demais.

* Texto produzido na Oficina de Redação do Professor José Roberto Duarte