O papel dos influenciadores digitais

Vinícius Pereira (Estudante)

O livro “A Revolução dos Bichos”, escrito por George Orwell (Eric Arthur) no ano de término da Segunda Guerra Mundial, retrata a rebelião dos animais que estão cansados da exploração e decidem viver em uma sociedade igualitária. Contudo, com o passar do tempo, os porcos passam a influenciar os outros animais, buscando favorecimento pessoal trazido como forma de metáfora pelo autor. Partindo para a realidade, é inegável que na sociedade atual pessoas são influenciadas por outras, sendo que o avanço tecnológico permitiu a intensificação desse fenômeno por meio dos influenciadores digitais.

A priori, as redes sociais exercem papel fundamental nesse processo, já que os influenciadores digitais agem por meio delas. Essas pessoas, normalmente, possuem um grande número de seguidores em suas redes sociais, os quais acompanham o conteúdo postado por aqueles. Esses criadores de conteúdo podem induzir, por meio de “marketing” para empresas ou, até mesmo pela sua opinião, os receptores.

Ademais, com o advento da globalização, estruturou-se o conceito de “Indústria Cultural”, termo criado por filósofos da Escola de Frankfurt para representar a “massificação cultural”, que favorece a manipulação e alienação da sociedade, por meio disso, as mídias digitais passaram a exercer grande influência em temas importantes, como é o caso da política.

Em suma, os influenciadores digitais em consonância com as mídias exercem papel ímpar na formação de opiniões da população. Destarte, devem apresentar cautela ao externar suas opiniões, evitando a total manipulação das pessoas, para que elas reflitam sobre suas crenças, de modo que não se tornem os animais totalmente influenciados pelos porcos da “Revolução dos Bichos”.

*Texto produzido na Oficina de Redação do Professor José Roberto Duarte