Navegação

Segunda, 23 Março 2020 17:04

Pandemia e empatia Destaque

Por
Avaliação
(2 votos)

Diante do caos estabelecido pelo coronavírus, é hora de manter-se lúcido e altivo para acatar as recomendações dos especialistas em saúde a fim de evitar disseminação, contaminação e, provavelmente, mortes em decorrência da pandemia que se nos apresenta. É momento, também, de ajuda mútua, apesar do isolamento, além de não acumular alimentos e produtos de higiene pessoal para que outras pessoas fiquem desabastecidas. Nada acontece por acaso. O egoísmo, o individualismo e o consumismo da sociedade moderna fazem com que as pessoas vivam em bolhas, afastando-se de familiares, amigos, perdendo o que há de mais humano nos seres humanos: a empatia. A pandemia do coronavírus esbofeteia a sociedade que valoriza bens materiais, posses, soberba e vaidades. Claro que vamos sobreviver. E sairemos muito mais fortes depois de tudo isso, inclusive mais solidários e altruístas. Após o caos, sempre emerge uma nova era. Com resiliência, devemos aprender a lição imposta. É preciso saber ler os sinais. Que Deus, em sua infinita misericórdia, abençoe a humanidade e a faça evoluir para a perpetuação da espécie em toda a Terra. Quem (sobre)viver verá!

Lido 106 vezes
José Roberto Duarte

Iguatuense, professor do ensino básico, formado em Letras pela Universidade Estadual do Ceará. Além da atuação educacional, é também colunista e diretor de redação do Jornal A Praça de Iguatu, e comentarista esportivo da Mais FM 106,1

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.