Para melhorar experiência de ensino, instituições brasileiras deverão inserir metodologias on-line para avançar no mercado, como gamification, blended learning e apps

Diante de um cenário incerto, complexo e ambíguo, a educação pode fazer a diferença no futuro. De acordo com o levantamento internacional a longo prazo Educação 2030, feito pela OECD (Organisation for Economic Co-operation and Development), serão necessárias novas soluções educacionais já que o mundo está em constante mudança social, econômica e ambiental. Deverão ser traçados objetivos mais amplos na educação, como o bem-estar individual e coletivo; e certamente será desenvolvido um novo conjunto de conhecimentos, habilidades, atitudes e valores nos estudantes.
A curto prazo, segundo Elton Ivan Schneider, diretor da Escola de Negócios do Centro Universitário Internacional Uninter, já em 2019 o uso da tecnologia será ainda mais necessário, incluindo o surgimento de novas profissões nesse segmento, como profissionais para atuar em Gestão de Startups, Varejo Digital, E-commerce, Blockchain, Finanças Digitais, Fintechs, Global Trading (Negócios Globais), jogos digitais, segurança cibernética, Coaching, entre outros. “Além disso, a otimização do tempo é cada vez mais valorizada por quem procura cursos superiores”, explica o professor. Schneider selecionou cinco tendências relevantes para o mercado brasileiro. Confira:
1. Blended Learning
Também conhecido como ‘aprendizado híbrido’ ou ‘modelo semipresencial’, essa metodologia combina sala de aula e educação on-line. O foco é na integração de ferramentas digitais, técnicas e materiais virtuais com a sala física. O modelo semipresencial também surge como alternativa para reduzir a evasão no ensino superior, já que os estudantes podem conciliar a vida acadêmica, profissional e pessoal com mais tranquilidade e a preços mais acessíveis. Na Uninter, o sistema já é utilizado desde 2014.

Sexta, 04 Janeiro 2019 13:00

Nova Política X Velha política

Escrito por

Nova Política
O senador cearense eleito Eduardo Girão (PROS) enviou ofícios à diretora geral do Senado Federal, Ilana Trombka, abdicando dos valores referentes às ajudas de custo (salários extras) que os senadores recebem no início e no final de cada legislatura. Ele requereu que os valores sejam direcionados à Associação Peter Pan, que cuida de crianças com câncer no Ceará. Eduardo também informou à diretora geral que abre mão do plano de saúde vitalício, além de dispensar até o fim do seu mandato de 08 anos o carro oficial a que os senadores têm direito. Merece aplausos.

Velha política
Corre à boca-miúda que os vereadores que apoiam a administração municipal, para elegerem a nova mesa da Câmara para o biênio 2019-2020, cuja presidência será ocupada pela vereadora Eliane Braz, que também é a primeira dama do município, receberam incentivos monetários, promessas de empregos para apadrinhados e demais benefícios para aliados. Merecem vaias.

Sérgio Papellin, 60, teve momentos distintos a serviço do Leão. No primeiro deles, no período de 2004 a 2007, participou do acesso à 1ª divisão e um tricampeonato estadual. Em um segundo momento, em 2009 e 2010, apesar da conquista do Cearense 2009 e do tetracampeonato estadual em 2010, caiu com a equipe para a 3ª divisão e também não obteve sucesso na primeira temporada do clube na Série C. Na sua terceira passagem, o iguatuense foi uma das peças importantes no renascimento da equipe no cenário nacional assumindo a gerência de futebol do Leão do Pici. Em entrevista exclusiva ao A Praça, ele detalha sua história de 07 anos com o clube e sua relação com o município que carrega no coração.

Thiedo Henrique (Jornal A Praça)

A Praça - Na entrevista de apresentação como executivo de futebol do Fortaleza, você chamou a atenção pela confiança e sinceridade, afirmando com uso de um palavrão que o time não ‘morreria’ na série C. Que clima você encontrou em seu retorno ao Leão em 2017 e como foi conviver com o sofrimento daquela divisão do futebol?
Sérgio Papellin - Já era a quinta vez que o Fortaleza me procurava para voltar, eu nunca tinha aceitado esse retorno porque achava que não era o momento. O Fortaleza era um clube muito dividido politicamente, ninguém conseguia agregar. A vaidade pessoal era acima do amor pelo clube. Eu estava no Cuiabá, do Mato Grosso, ano passado recebi a proposta para voltar, senti que o trabalho seria diferenciado. Quando cheguei, sabia que o momento era difícil, era uma loucura do pessoal para poder subir o Fortaleza de volta para série B. A gente não pode nem criticar porque só quem está dentro do futebol, sabe. Passar 8 anos na série C, com a pressão de uma nação, você termina sendo um pouco irresponsável na lei do limite que o clube pode arcar. A folha do time era de R$ 880 mil, com 13º e três meses de salário atrasados, orçamento que time que disputa para subir a série A não gasta. Conseguimos equilibrar as contas, diminuímos a folha em R$ 350 mil para colocar tudo em dia. Mesmo como muita gente torcendo contra, o acesso veio ano passado e essa organização proporcionou ao Fortaleza ter um centenário como esse em 2018. Eu tinha tanta certeza que conseguiria ajudar a subir o Fortaleza que passei a ganhar R$ 10 mil a menos, acreditando que a compensação financeira viria mais à frente.

CONFIRA A LISTA DOS CANDIDATOS (AS) APROVADOS (AS) E CLASSIFICADOS (AS) NO CONCURSO VESTIBULAR 2019.1 DA FACULDADE SÃO FRANCISCO DO CEARÁ – FASC

MATRÍCULAS ABERTAS DE 17 A 21 DE DEZEMBRO. MAIS INFORMAÇÕES: 88.3581-5611.

Sábado, 10 Novembro 2018 00:28

Vestibular 2019.1 da FASC

Escrito por

A Faculdade São Francisco do Ceará - FASC está com as inscrições abertas para o seu vestibular 2019.1. O candidato pode se inscrever através do site www.fsf.edu.br ou presencialmente na sede da FASC na rua Dom Quintino, onde funcionou o antigo colégio São José. O processo vestibular oferece mais de 500 vagas para os cursos de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo, Administração, Filosofia, e Fisioterapia. A prova será aplicada no dia 09 de dezembro de 2018. Mais informações pelo telefone 88.3581-5611.

Calendário

« Julho 2019 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        

Sobre o Autor

  • José Roberto Duarte, iguatuense, professor do ensino básico, formado em Letras pela Universidade Estadual do…

Parceiros