José Roberto Duarte

José Roberto Duarte, iguatuense, professor do ensino básico, formado em Letras pela Universidade Estadual do Ceará.
Além da atuação educacional, é também colunista e diretor de redação do Jornal A Praça de Iguatu, e apresentador dos programas Mais Gospel e Mais Debates, aos sábados, na rádio Mais FM 106,1.

Sexta, 18 Agosto 2017 23:50

Por meio de nota oficial, a CNEC – Campanha Nacional de Escolas da Comunidade, mantenedora do Centro Educacional Cenecista Ruy Barbosa, comunicou ontem que esta instituição tem nova direção. Trata-se da professora Íris Cristina Lima que substitui o professor Lúcio Chaves Gondim, que estava no cargo desde o falecimento do Dr. Edson Gouveia. Segundo o documento divulgado nas redes sociais, a professora Íris Lima foi contratada por meio de processo seletivo em âmbito nacional. A nota ressalta ainda reconhecimento à trajetória exitosa profissional do professor Lúcio Chaves por mais de 3 décadas de serviços prestados ao colégio Ruy Barbosa. A nova diretora vai se reunir ainda este mês com docentes, discentes e pais para apresentar seu plano de trabalho. Nessa semana a diretora reuniu pais, alunos e professores a fim de apresentar seu plano de trabalho.

 

Sexta, 18 Agosto 2017 23:44

Em 2017, o hino nordestino ‘Asa Branca’ completa 70 anos. Poucas canções da MPB têm tantas versões. Ela ‘voa’ há décadas, indiferente aos modismos musicais, tendo sido gravada tanto por artistas de diversos estilos musicais, ritmos, e até em outros idiomas. A canção está imortalizada na voz de Luiz Gonzaga. A letra escrita pelo iguatuense Humberto Teixeira retrata a saga do povo nordestino fadado ao fenômeno cíclico da seca que o faz abandonar a terra natal em busca de sobrevivência, mas não hesita em voltar quando tem o sinal da primeira chuva. No próximo dia 18 faz um ano da morte do sanfoneiro Antônio Osório. Pouco antes do seu falecimento o flagramos tocando Asa Branca na praça Getúlio Vargas (praça da Caixa em Iguatu). Nascido em Senador Pompeu, Osório adotou Iguatu como morada, e mesmo após sua partida ainda não recebeu homenagem e/ou reconhecimento de sua terra madrasta. Lamentável!

 

Sexta, 18 Agosto 2017 23:42

Muitos brasileiros se perguntam por que tanta pressa para votar e aprovar as reformas Trabalhista e Previdenciária no Congresso Nacional. A resposta é simples. Na política há demasiado jogo de cena, ou seja, desfaçatez, cinismo. A grande maioria dos congressistas é eleita com dinheiro de empresários, empreiteiras, advindo de caixa 2 e corrupção. Pois bem. A cobrança vem em forma de lobby dos financiadores para aprovar projetos de seus interesses. Ou seja, as reformas ora apresentadas interessam, e muito, aos patrocinadores de deputados e senadores. Ainda que apareçam aqui e acolá na mídia vozes contrárias às propostas, visto que 2018 tem eleições para o Congresso, a dissimulação é notória, pois naturalmente deputados e senadores querem ficar bem na fita com os eleitores; assim fazem discurso dirigido para evitar desgastes e perda de votos. Como Michel Temer tem seus dias contados, aprovar tais reformas no crepúsculo de sua estada no poder traria manchas, ainda mais, ao embuste que ora ocupa o cargo de presidente, evitando dissabores políticos aos que até há pouco o apoiaram, contumazes usurpadores e aproveitadores de quem está de plantão no poder.

 

Sexta, 18 Agosto 2017 23:39

A Faculdade São Francisco do Ceará – FASC, campus-Iguatu, recebeu na semana passada comissão do Ministério da Educação – MEC que avaliou a sede da instituição, no antigo colégio São José. A visita do MEC é parte do processo de instalação do curso de Engenharia Civil na FASC em Iguatu. A comissão aprovou o curso com 100 vagas. O processo agora segue o trâmite no ministério e após publicação no Diário Oficial, a mantenedora já pode realizar o vestibular. Em agosto, o MEC volta a Iguatu para avaliar também o curso de Arquitetura pretendido pela FASC. Instalada em Iguatu em julho de 2016, a FASC oferece os cursos superiores de Farmácia, Nutrição, Enfermagem, Administração e o tecnólogo em Construção Civil.

 

Sexta, 18 Agosto 2017 23:36

O crime de estupro pode se tornar imprescritível. É o que determina proposta de emenda à Constituição aprovada em segundo turno na quarta-feira, 9, pelo Senado. Foram 61 votos a favor e nenhum contrário. A PEC 64/2016 já havia sido aprovada em primeiro turno no último dia 9 de maio e segue agora para a análise da Câmara dos Deputados. O texto, do senador Jorge Viana (PT-AC) (foto), teve como relatora a senadora Simone Tebet (PMDB-MS). A PEC altera a Constituição para tratar o estupro como crime “inafiançável e imprescritível”. Isso significa que o crime poderá ser punido mesmo muitos anos depois de cometido.

 

Calendário

« Dezembro 2017 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31

Sobre o Autor

  • José Roberto Duarte, iguatuense, professor do ensino básico, formado em Letras pela Universidade Estadual do…

Parceiros