José Roberto Duarte

José Roberto Duarte, iguatuense, professor do ensino básico, formado em Letras pela Universidade Estadual do Ceará.
Além da atuação educacional, é também colunista e diretor de redação do Jornal A Praça de Iguatu, e comentarista esportivo da Mais FM 106,1.

A plataforma online Kultivi disponibiliza curso preparatório com 600 aulas para estudantes que vão passar pelo exame no próximo mês de novembro

Já estão encerradas as inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019, e para quem vai realizar o exame nos dias 3 e 10 de novembro, toda ajuda é bem-vinda, não é mesmo? Afinal, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), são mais de 6,3 milhões de inscritos na prova este ano. Então, que tal ter uma vantagem estudando sozinho com um curso de graça na internet? A Kultivi (www.kultivi.com), principal plataforma de ensino gratuito do Brasil, preparou um material completo, com 600 aulas, disponíveis a qualquer horário, em qualquer dispositivo com acesso à internet, para facilitar a vida dos estudantes.

São 120 aulas de biologia, 100 de matemática, 70 de química, 60 de história, 60 de língua portuguesa, 24 sobre literatura e 20 de redação, além, claro, de geografia, física, sociologia, filosofia, línguas estrangeiras e, até mesmo, educação física. Por meio da plataforma, os alunos podem acessar gratuitamente todo o conteúdo. “A lógica de funcionamento é simples, a plataforma é mantida pela venda de espaços publicitários para marcas parceiras que acreditam no projeto, além da captação de recursos na iniciativa privada. São empresas que querem desenvolver educação de qualidade no Brasil e atrelar sua marca a esse projeto”, explica Claudio Matos sócio idealizador da startup Kultivi.

A cinza substitui de 50% a 95% de solo comum na base da estrada. Aplicação, ambientalmente sustentável, é fruto de pesquisa desenvolvida pela EDP Brasil e pela Eneva em parceria com a Universidade Federal do Ceará. O investimento no projeto é de R$ 4,1 milhões

Por Julia Morais

O Ceará ganhará uma estrada que utiliza um composto asfáltico inovador e sustentável. Nesta terça (11), EDP e Eneva entregam a primeira estrada do Ceará que reutiliza cinzas de carvão na pavimentação. Esses resíduos são subprodutos da geração de energia elétrica do Complexo Termelétrico de Pecém, no Ceará, composto pela UTE Pecém I (sob a gestão da EDP Brasil) e pela UTE Pecém II (administrada pela Eneva). As cinzas são usadas em duas camadas que formam a base da estrada. Em uma delas, as cinzas vão substituir 50% de solo comum. Na outra, vão representar 95% da composição. É a primeira vez que esse tipo de aplicação é utilizado fora de ensaios laboratoriais.
A via possui extensão de 1,3 quilômetro e 12 metros de largura. O estudo para o desenvolvimento do composto iniciou-se em 2015 e conta com participação da Universidade Federal do Ceará. Ao todo, o projeto recebeu investimento de R$ 4,1 milhões. A estrutura receberá tráfego de caminhões com insumos, ônibus de transporte de funcionários e veículos particulares. O ganho ambiental ocorre pela utilização de cinzas do carvão – subprodutos da geração de energia – como matéria-prima.
“A EDP tem como marca o investimento contínuo em inovação, sustentabilidade e governança. A inauguração dessa estrada deixa um legado e mostra que as atitudes da empresa justificam o reconhecimento, como o do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3. A substituição do solo natural na composição do asfalto traz ganhos ambientais e econômicos”, explica Lourival Teixeira, diretor de geração da EDP Brasil.
A principal possibilidade que se abre com a pesquisa e aplicação prática das cinzas de carvão como insumo asfáltico é evitar a exploração de jazidas naturais para extrair solo nativo, prevenindo a degradação ambiental. Além disso, a Universidade Federal do Ceará (UFC) vai elaborar um Manual de Uso contendo normas e instruções de serviço que servirão de apoio e incentivo à concepção de pavimentos com utilização das cinzas oriundas de termelétricas.


O Governo Federal liberou uma parcela extra, referente à diferença dos recursos do Fundeb de 2018. Iguatu recebeu um montante de R$ 1.218.506,00. Somando todos os recursos transferidos para a Educação de Iguatu, através do Fundeb, a Prefeitura recebeu um valor total de R$ 5.512.900,00.

FPM
Além dos recursos para a Educação, Iguatu também recebeu recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), num montante de R$ 3.741.368,00. Ainda foi creditada nas contas da Saúde uma parcela de R$ 497.252,00. Somando todos os repasses no mês de abril (Fundeb, FPM, Fundo Saúde), foram liberados para Iguatu quase R$ 10 milhões, além dos recursos liberados pelo Ministério da Saúde e pelo Governo do Estado. Esse ano, só do Ministério da Saúde, já foram liberados para a Prefeitura de Iguatu mais de R$ 10 milhões. (LV)


O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que cria a Política Nacional de Prevenção da Automutilação e do Suicídio, publicada no Diário Oficial da União na última segunda-feira, 29/04. A lei cria um sistema nacional, com estados e municípios, para prevenção do suicídio e da automutilação e um serviço telefônico gratuito para atendimento ao público. A publicação ainda determina que a notificação compulsória destes casos deve ter caráter sigiloso nos estabelecimentos de saúde, segurança, escolas e conselhos tutelares.

Suicídios no mundo e no Brasil
O suicídio representa 1,4% das mortes em todo o mundo, sendo a segunda principal causa entre os jovens de 15 a 29 anos, segundo levantamento da Organização Mundial de Saúde (OMS). No Brasil, estima-se que entre cinco a nove mortes por 100 mil habitantes em 2018 tenha como causa o suicídio. Ainda de acordo com a OMS, a cada adulto que comete suicídio, pelo menos outros 20 possuem algum tipo de ideação ou atentam contra a própria vida. Além do suicídio, a automutilação também acende um alerta a toda sociedade. Ainda não há estimativas sobre os riscos provocados pela automutilação.

Suicídios no Ceará e em Iguatu
Dos 5.149 casos registrados no Estado entre os anos 2010 e 2018, foram 1.269 em Fortaleza e outros 3.880 espalhados pelos demais municípios. Em Iguatu, foram registrados 83 casos. Levando em consideração o estudo da OMS, pelo menos 1.660 iguatuenses tentaram contra a própria vida no mesmo período. Os dados são oficiais, da Secretaria Estadual da Saúde e também tabulados pelo Ministério Público Estadual (MPCE).

Prevenção e apoio
O CVV - Centro de Valorização da Vida, fundado em São Paulo, em 1962, é uma associação civil sem fins lucrativos, filantrópica, reconhecida como de Utilidade Pública Federal, desde 1973. Presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e prevenção do suicídio para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo e anonimato. Os contatos com o CVV são feitos pelos telefones 188 (24 horas e sem custo de ligação), pessoalmente (nos 93 postos de atendimento) ou pelo site www.cvv.org.br, por chat e e-mail. Segundo o CVV, o estudo e a discussão do tema suicídio são as formas mais eficientes de se promover a prevenção, que só é possível quando a população, os profissionais da saúde, os jornalistas e governantes têm informações suficientes para conduzir as medidas adequadas e ao seu alcance nessa frente.


Infelizmente ainda não foi aqui em Iguatu, mas em São Paulo. Os vereadores paulistanos aprovaram projeto de lei que prevê a proibição de fornecimento de canudos plásticos em estabelecimentos comerciais da cidade. O projeto segue para a aprovação do prefeito Bruno Covas. Segundo dados do Banco Mundial, o Brasil produz mais de 11 milhões de toneladas de plástico por ano e só recicla cerca de 1% dele. Quem sabe os edis locais deixam de lado as querelas político-partidárias e decidem legislar lucidamente em favor do que realmente interessa.

Calendário

« Junho 2019 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30

Sobre o Autor

  • José Roberto Duarte, iguatuense, professor do ensino básico, formado em Letras pela Universidade Estadual do…